Muitas emergências acontecem de forma recorrente em condomínios. E ainda que medidas de prevenção sejam adotadas regularmente, nem sempre é possível evitar esse tipo de problema. Nesse sentido, definir procedimentos de emergência em condomínios é algo que precisa ser implementado até mesmo para evitar complicações ainda maiores.

Mas, e você, sabe quais procedimentos adotar diante dos mais diversos cenários de emergência que podem acometer um condomínio?

Além de manter a calma e contar com funcionários bem instruídos, é essencial garantir que o condomínio esteja com o serviço de manutenção em dia e mantenha uma lista com telefones para emergência sempre à vista e atualizados.

Veja nesse post mais algumas dicas e orientações sobre quais procedimento adotar em condomínios nas mais diversas situações de emergência.

Procedimentos de emergência em condomínios para adotar em caso de Incêndios

Para qualquer modalidade de condomínio, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndios é um dos itens obrigatórios para emissão e renovação do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, o AVCB. A ocorrência de incêndio é algo que deixa todos os condôminos assustados e, com isso, instala-se um verdadeiro pânico geral quando esse tipo de emergência acontece.

Para evitar que o problema não se agrave ainda mais, os moradores bem como os funcionários devem ser instruídos sobre o que fazer em caso de incêndio.

O curso de brigadista, por exemplo, é um procedimento de emergência em condomínio indicado a funcionários e moradores. Ele deve ser ministrado uma vez por ano e, neste curso, os profissionais do corpo de bombeiros ensinam dicas e orientam sobre como proceder nesse tipo de situação.

Assim, se houver um incêndio, os condôminos terão uma ideia melhor de como proceder depois de acionar o 193 e como controlar o fogo até a chegada de ajuda.

Falta de energia

Quando falta energia no condomínio há um certo desgaste e estresse, principalmente se ocorrer à noite, horário em que todos os residentes utilizam a energia elétrica com maior frequência.

Caso haja quedas de energia, o sindico ou administrador do condomínio deve, primeiramente, verificar se há pessoas presas em elevadores. Se houver, uma empresa de manutenção deve ser acionada ou o corpo de bombeiros para resolver o problema.

Uma dica também de procedimentos de emergência em condomínios é não tentar tirar os ocupantes do elevador sem auxílio especializado, pois há riscos envolvidos de ambos os lados. Além disso, é recomendado deixar lanternas com baterias disponíveis na portaria, para guiar os condôminos se houver falta de energia.

Procedimentos de emergência em condomínios para adotar em casos de vazamentos

Os vazamentos de gás podem ser bem perigosos e, inclusive, levar à morte. Nesse caso, um dos procedimentos é acionar imediatamente a portaria pelo interfone.

Quando há vazamento de gás, é preciso fechar o registro do prédio e esvaziar o local, verificando se não permaneceu ninguém no ambiente. Depois, é só entrar em contato com a distribuidora de gás e, apenas em situações mais agravantes, chamar os bombeiros.

Já o vazamento de água também é desgastante. Nesse contexto, a ação deve ser mais direta, pois os funcionários do prédio ou terceirizados conhecem o encanamento. Sendo assim, o procedimento mais indicado em caso de vazamento de água é fechar o registro e fazer os reparos necessários até que o funcionamento do sistema seja restabelecido.

Briga entre vizinhos

Outro problema comum existente em condomínios é a briga entre vizinhos. Entretanto, resolver conflitos entre moradores não é encargo do síndico. Os procedimentos de emergência em condomínios que podem ser feitos são a aplicação de multas e de advertências, caso alguma norma seja violada.

Se o desentendimento for mais sério, envolvendo agressão física, por exemplo, a polícia pode ser acionada para intervenção. Aproveite para conferir também o post que fizemos com dicas para melhorar a convivência em condomínios.

Conclusão

Ter conhecimento dos procedimentos de emergência ajuda a tranquilizar tanto moradores quanto funcionários em situações de emergência como incêndios, queda de energia, vazamentos e conflitos internos.

Esperamos que tenha gostado deste post!

Autor: Karina Matos