De acordo com a Agência Brasil e a Associação Brasileira de de Conscientização dos Perigos da Eletricidade (Abracopel), mais de 50% dos incêndios ocorridos em casas ou apartamentos, ocorridos em todo o país durante o ano de 2020, resultaram de sobrecarga no sistema elétrico. Como informam os números, foram registrados no país 583 incêndios por sobrecarga, 344 foram provocados por instalações elétricas internas, e em m seguida, aparecem ventiladores e aparelhos de ar condicionado, que causaram 99 incêndios.

Ainda que dispositivos, como disjuntor e fusíveis, tenham a função de controlar e evitar possíveis acidentes, a sobrecarga modifica os sistemas de segurança, que deixam de funcionar a permitem o aquecimento dos fios e o consequente incêndio.

Com a complexidade das instalações elétricas dos condomínios, estar atento ao desempenho da rede, às autorizações e vistorias é fundamental para manter a edificação, moradores e funcionários protegidos. Prédios mais antigos exigem atenção redobrada, já que a quantidade de aparelhos ligados evoluiu constantemente nas últimas décadas.

Quando reformar ou revisar instalações?

A solicitação da revisão pode derivar do tempo de uso, por aumento de consumo, quedas constantes de energia, queima de aparelhos. ou danos à fiação.  De acordo com a Abracopel, “instalações antigas, com mais de 10 anos, normalmente não foram dimensionadas para atender às atuais necessidades de cargas elétricas, como aparelhos de aquecimento de água e de ambientes com grandes potências, por exemplo.

Já a inspeção anual deve ser executada por especialistas, habilitados para a emissão da ART – Anotação de Responsabilidade Técnica. Além de verificar o desempenho dos componentes essenciais para o bom funcionamento da rede e segurança dos condomínios, a verificação anual é fundamental para analisar o rendimento dos sistemas, verificar fugas e reduzir o desperdício de energia.

Check list da inspeção anual

A Abracopel elaborou uma lista de “passos” que poderão ser seguidos pelos síndicos no momento de solicitar a manutenção preventiva ou corretiva e, até mesmo, auxiliar na contratação da mão de obra:

1. Contrate um engenheiro eletricista que será capaz de avaliar as condições reais das instalações elétricas, incluindo a adequação às normas NR 10, NBR 5410 e NBR 14039;
2. Durante a inspeção, é necessário efetuar um levantamento de todos os pontos que necessitam de medição, laudo e manutenção dos sistemas elétricos;
3. Solicite sempre a emissão de um relatório técnico de inspeção elaborado por um engenheiro eletricista registrado no CREA, pois esta é a sua garantia sobre as condições atuais de todas as instalações vistoriadas;
4. O laudo com ART deve ser apresentado em assembleia condominial para que os condôminos fiquem cientes dos problemas existentes no condomínio e efetuem a arrecadação para as reformas necessárias;

(Fonte: Abracopel)

Tanto para a inadequação das áreas comuns, como para as unidades internas, o projeto de acréscimo de energia fornecida ao condomínio deve ser aprovado junto à concessionária responsável pelo fornecimento e executado por empresa devidamente certificada. A modernização e adequação da estrutura pode envolver obras simples ou complexas, incluindo o aumento da seção dos condutores, quantidade de circuitos e tomadas ou até ao aumento da carga elétrica contratada junto aos órgãos e empresas de distribuição. Também é possível atualizar centros de medição, reformar prumadas e substituir condutores redimensionados.

Com informações da Agência Brasil e e Abracopel