A Gestão de Resíduos e a coleta seletiva nos condomínios residenciais é assunto sempre em pauta quando o tema é Meio Ambiente e Sustentabilidade. Nestes posts, já discutimos a importância da Coleta Seletiva e também 7 dicas para a sustentabilidade. Contudo, alguns cuidados e orientações podem fazer a diferença para que a gestão de resíduos seja realmente efetiva nos condomínios, alcançando benefícios reais ao meio ambiente com práticas que vão além da separação do material.

Neste artigo discutimos algumas dessas orientações e como aplicá-las em seu condomínio, para um projeto de gestão mais responsável e ecológico:

Comunicação

Comunicar os dias e horários de recolha e exigir que o material seja separado pode não ser o bastante para a sensibilização e mobilização efetiva dos moradores. Campanhas que incentivem atitudes e práticas sustentáveis e de reciclagem podem ir além disso. Os 5Rs da Reciclagem podem ser um bom tema para campanhas que incentivem:
I. Repensar hábitos e comportamentos de consumo
II. Reduzir o desperdício
III. Recursar descartáveis e outros materiais poluentes
IV. Reutilizar embalagens e materiais
V. Reciclar todo e qualquer material reciclável

Outro obstáculo a ser superado é a limpeza dos materiais. Higienizar embalagens antes de descartá-los, com guardanapos de papel já utilizados, por exemplo, ajuda no processo de reciclagem e na manutenção das áreas de descarte.

Espaço e condições adequadas

Independente da dimensão do condomínio, o espaço para contêineres e lixeiras precisa ser planejado para não gerar riscos e outros problemas. Locais cobertos evitam mal cheiro, presença de animais e acúmulo de água da chuva – o que pode provocar a dengue. Se o volume de matérias for considerável, também é preciso considerar o manuseio e coleta, dando fácil acesso para a retirada do material. Funcionários devem receber orientações, treinamento e equipamentos específicos para manusear os materiais.

Escadas são espaços proibidos para abrigar qualquer tipo de material e normas do Corpo de Bombeiros de cada estado fazem observações específicas para que o espaço de passagem esteja livre para possíveis emergências.

Atenção para papéis e plásticos, materiais de alta combustão. Como orienta o blog Recicla Sampa, as seguradoras devem ser avisadas antes da medida ser implantada, para que, no caso de acidente, haja ressarcimento compatível com o ocorrido. Como aconselha ainda o Portal, Se não houver o contato prévio, a empresa seguradora pode alegar omissão por parte do condomínio.

O que separar?

Materiais como as latinhas de alumínio, o vidro, papel e plástico são os materiais mais conhecidos para a reciclagem. Mas, os moradores também devem estar atentos a correta separação de lâmpadas, pilhas, componentes eletrônicos e computadores, pneus, óleo de cozinha, tecidos e até os resíduos de alimentos, que podem ser destinados à compostagem.

Neste link, é possível encontrar alguns cartazes de orientação para separação dos materiais recicláveis, com campos para as informações de data e horários das coletas.

Recolha dos materiais

Além do programa de coletiva seletiva dos municípios, cooperativas de tratamento de resíduos se dedicam exclusivamente a separação dos materiais e ainda colaboram em projetos ambientais. Parcerias podem ser uma ótima solução para organizar a retirada e a correta reciclagem dos materiais e ainda fazer a diferença nas comunidades.