Quem administra um condomínio sabe que devido ao fluxo constante de pessoas e automóveis que existe nesse local, a ocorrência de danos ou desgaste de equipamentos e outros itens é frequente. Contudo, é possível prever esses e outros problemas técnicos realizando a manutenção preventiva em condomínios.

Esse é um tipo de cuidado que não apenas evita problemas futuros, como também garante o conforto e a segurança dos condôminos. E para ajudar você a saber qual o melhor momento de fazer uma manutenção preventiva ou o que não pode faltar nesse serviço, separamos nesse post algumas informações sobre o assunto. Confira!

O que é e quando fazer a manutenção preventiva em condomínios

A manutenção preventiva em condomínios é um serviço realizado no intuito de antecipar possíveis problemas muitas vezes não aparentes, como problemas de encanamento e na rede elétrica, por exemplo.

Essa iniciativa fará com que as instalações prediais e espaços de utilização comum sejam preservados bem como recebam os devidos cuidados com a frequência necessária para garantir que todos os moradores possam desfrutar de dependências e equipamentos em bom estado e com bom desempenho.

Para que a manutenção preventiva em condomínios seja eficaz é essencial que você fixe datas específicas para fazer essa checagem. Além disso, esse serviço também pode ser feito quando algum equipamento apresentar defeito.

O intervalo de tempo ideal para a manutenção varia de acordo com o que será avaliado, pois a necessidade de manutenção se difere entre equipamentos e instalações.

Como fazer a manutenção preventiva em condomínios

A manutenção preventiva em condomínios é um serviço que não gera transtornos aos condôminos, já que ela pode ser realizada em períodos pré-definidos.

Além disso, é importante lembrar que engenheiros e inspetores são os principais responsáveis por fazer o planejamento das manutenções, juntamente com o síndico que conhece bem as instalações, a rotina geral do condomínio e diversas particularidades.

Veja, alguns exemplos de itens que não podem faltar na manutenção preventiva de condomínios:

• Escadas de emergências;
• Portas corta fogo;
• Luzes de emergência;
• Elevadores;
• Bomba de água;
• Calhas;
• Pintura;
• Portões automáticos;
• Faixada;
• Telhado
• Piscina;
• Equipamentos de academia;
• Câmeras;
• Interfones;
• Extintores.

Fazer uma avaliação constante nesses itens vai resultar em bom funcionamento e satisfação de quem reside no local, além de proporcionar mais segurança aos moradores e estrutura do condomínio.

Passo a passo para implementar a manutenção preventiva de condomínios

Primeiramente, o ideal é fazer a utilização de ferramentas de apoio para melhor acompanhamento do serviço de manutenção. Se a administração do condomínio não tiver programas de controle e seu processo não for automatizado, podem ser implantadas planilhas, roteiros, aplicativos e etc.

O importante é que tudo esteja documentado devidamente para consultas posteriores. Vale incluir desde fotos, até diário de atividades, relatórios e etc.. Para iniciar o planejamento da manutenção preventiva em condomínios o síndico deve ter em mãos:

• Manual de áreas comuns do condomínio;
• Notas fiscais e garantias de todos os equipamentos e maquinas em uso;
• Atestados e certificados
• Inventários;
• Contratos de manutenção já existentes.

Quando as manutenções preventivas são feitas no condomínio, o custo com consertos e substituições de maquinas e equipamentos, pode reduzir significativamente, gerando mais economia aos moradores, assim como também aos gestores.

Portanto, agora que você já sabe a importância de fazer a manutenção preventiva em condomínios, quando fazer esse tipo de serviço e o que não pode faltar, não deixe de prover esse cuidado, para a sua tranquilidade e de todos que convivem nesse espaço.

Gostou do post? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Aproveite e confira também o artigo sobre Dicas para melhorar a convivência em condomínios!!!

Autor: Karina Matos