Administrar um condomínio mais antigo pode acarretar em frequentes necessidades de manutenções, pois as instalações começam a envelhecer e exigir reparos assim como substituições. E um dos problemas mais reincidentes é a infiltração em condomínios.

Ao se deparar com um problema de infiltração em condomínios muitas vezes é comum se perguntar de quem é essa responsabilidade. E, principalmente, como lidar com o problema.

Veja nesse post quais são as principais causas de infiltração em condomínios. E o que você pode fazer para solucionar o problema e evitar problemas com os condôminos do seu prédio.

Principais causas de infiltração em condomínios

As infiltrações estão no topo da lista de problemas mais enfrentados em condomínios. E, embora a chuva seja o principal vilão da infiltração em condomínios, existem outros fatores que podem tanto gerar o problema, quanto agravá-lo significativamente.

O desgaste natural de peças, canos e revestimentos é um deles. Além disso, a infiltração pode ser resultado de algum vazamento interno. Outras possíveis causas, são:

• Ausência de impermeabilização adequada antes de revestir paredes e pisos;
• Vedação de portas e janelas feitas inadequadamente;
• Mal instalação de tubos e conexões.

Tipos de infiltração em condomínios

Tão importante quanto identificar o que causa as infiltrações, é saber onde ela ocorre com maior frequência, até mesmo para evitar possíveis reincidências. Em condomínios, os problemas de infiltração geralmente ocorrem na:

• Parede;
• Laje;
• Caixa d’água;
• Teto;
• Faixada do prédio;
• Piso.

Como lidar com infiltração em condomínios

Lidar com infiltrações não é uma coisa tão simples e requer muita atenção. Para evitar que esse problema gere um transtorno ainda maior, é importante que você fique atento aos sinais de infiltração como:

• Umidade na parede;
• Manchas escuras no teto e paredes;
• Pintura descascando ou com bolhas;
• Rachaduras no teto;
• Azulejos soltos;
• Presença de mofo;
• Rodapés soltos ou manchados.

Ao identificar esses sinais, o próximo passo consiste em avaliar quem deve se responsabilizar pelos possíveis reparos, se o responsável pelo condomínio ou o condômino.

Apartamento próprio

Quando existe uma infiltração dentro do apartamento e a origem do problema também ocorreu dentro do apartamento é de total responsabilidade do proprietário arcar com os custos do reparo e de todas as suas implicações.

Nesse caso o morador deve avisar imediatamente ao síndico e vizinhos próximos e o reparo deve ser feito em caráter de urgência para que não se estenda para outras unidades.

Apartamento alugado

Quando uma infiltração em condomínios ocorre em uma unidade alugada existem dois cenários possíveis:

• Se o problema for fruto de desgaste natural bem como de problemas estruturais, é de responsabilidade do proprietário arcar com os custos do reparo;
• Se o problema for resultado de alguma perfuração, obras de reformas ou má utilização de qualquer espécie, quem deverá arcar com o prejuízo será o morador, no caso inquilino.

Apartamento vizinho

Se a infiltração no apartamento ocorre devido a problemas em outras unidades vizinhas, e é identificado danos no imóvel ou prejuízos materiais, o responsável pela correção do problema é o dono da unidade geradora.

Nesse caso o dono do apartamento que deu origem ao problema deverá corrigir o problema, bem como reembolsar ou arcar com a despesa da unidade que sofreu consequências.

Áreas comuns do condomínio

Quando a infiltração em condomínios ocorre nas áreas comuns é de responsabilidade do condomínio arcar com os custos da manutenção, tanto na área de origem, quanto nas áreas afetadas, mesmo que seja dentro de uma unidade.

Portanto, como pode perceber, a infiltração em condomínios é um problema que pode ter múltiplas causas assim como gerar prejuízos aos moradores e quem administra o espaço. Por isso, fique de olho e sempre que possível realize a manutenção periódica para evitar que problemas como esse acabe manchando a imagem do seu empreendimento.

Autor: Karina Matos