Com a nova rotina imposta às famílias pelo Coronavírus, aumenta-se o número de pessoas em casa, o número de compras online, de deliverys e… consequentemente, o número de resíduos a serem descartados pelo condomínio.

De acordo com os dados do Panorama dos Resíduos Sólidos, da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), lançados em 2020, entre 2010 e 2019, a geração de RSU no Brasil registrou considerável incremento, passando de 67 milhões para 79 milhões de toneladas por ano. Por sua vez, a geração per capita aumentou de 348 kg/ ano1 para 379 kg/ano. Na comparação entre a década, em 2010, 3.152 municípios registravam alguma iniciativa de coleta seletiva, enquanto, em 2019, esse número aumentou para 4.070 municípios. Importante destacar, porém, que em muitos municípios as atividades de coleta seletiva ainda não abrangem a totalidade da área urbana.

Quando quase 32 do resíduo gerado é composto de material reciclável, a separação deste material é fundamental para a correta destinação e para a promoção de ciclos de consumo, reciclagem e aproveitamento mais conscientes e otimizados.

Além da promoção de campanhas para que as famílias utilizem menos embalagens e sacolas plásticas, a orientação para que os resíduos sejam corretamente separados ainda nos apartamentos e residências é fundamental para o sucesso das estratégias de gestão e para o reaproveitamento do material nos processos de reciclagem. Enquanto os resíduos da alimentação, por exemplo, podem ser destinados para a compostagem, o volume de resíduos recicláveis pode ser destinados à coleta seletiva realizada pelo município ou ainda por cooperativas, o que pode representar apoio às atividades sociais da comunidade.

Para auxiliar síndicos e gestores, o Portal eCycle oferece o guia básico da coletiva seletiva em condómino, com orientações efetivas para a gestão de reciclagem eficiente. De acordo com portal, referência em práticas ambientais para Condomínios, estão são as três etapas de definição de um programa de descarta de resíduos consciente:

  1. Espaço e conscientização
  2. Definir quais materiais serão coletados
  3. Conscientização da importância do descarte correto
  4. Local de armazenamento
  5. Cuidado com papéis e plásticos
  6. Treinamento para os responsáveis
  7. Retirar periodicamente os materiais

Além de lixeiras adequadas à cada tipo de material, espaços para o descarte de pilhas, lâmpadas e objetos eletrônicos também faz parte da política de gestão de resíduos. Outra dica importante, é que a área de destino e coleta seja afastada dos locais de distribuição de gás e outros inflamáveis, e que não obstrua áreas de passagens, escadas ou saídas de emergência. Neste post do Blog CondoBlue, você confere mais dicas sobre como incentivar a Responsabilidade Socialambiental no seu condomínio.