De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Brasil permanece em líder no ranking entre os países com maior incidência de raios no mundo: são 77,8 milhões de descargas no solo a cada ano. A atenção à correta instalação e manutenção dos SPDA – Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas, popularmente conhecidos como para-raios, são fundamentais para a proteção do condomínio, prevenindo riscos e grandes acidentes. Quando uma descarga atmosfera atinge um edifício protegido, a corrente elétrica é captada e distribuída pelo para-raio, atinge o sistema de cabos e segue até atingir o solo, onde se dissipa e perde a força.

Revista em 2015, a Norma NBR 5419 – Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas e de aterramento elétrico, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), é o normativo que assegura padrões técnicos e orienta os principais requisitos a serem avaliados na instalação, manutenção e para a emissão da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) acerca da eficiência das estruturas. Ainda que alguns municípios e estados apresentem leis particulares e que determinam a instalação de acordo com alturas variadas, os SPDAs têm sido obrigatórios para a concessão de seguros patrimoniais e também para o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, o AVCB.

Cuidados com a manutenção dos para-raios

O Laudo Técnico de SPDA tem validade de 1 a 3 anos, variando conforme a região em que o condomínio está localizado (regiões litorâneas, ambientes industriais com atmosfera agressiva etc.), e se possui área classificada ou não.

A norma ABNT NBR 5419/2015 exige que semestralmente seja realizada a inspeção visual no SPDA, atestando assim a integridade do sistema. Durante a verificação, são avaliadas as condições de resistência de aterramento, a partir da medição ôhmica. Caso a inspeção verifique situações de risco ou não conformidade ou quando houver alterações no sistema ou suspeita de que a estrutura foi atingida por uma descarga atmosférica, o Laudo de SPDA deverá ser atualizado incluindo o resultado da inspeção visual semestral.

Outros cuidados envolvidos na manutenção dos sistemas estão relacionados também à manutenção da caixa d’água e ao aterramento de antenas de tv, cabos e captores, que podem funcionar como condutores de eletricidade, atraindo as descargas e as potencializando.

Mas, quais são os riscos da manutenção incorreta dos para-raios?

A não realização da manutenção periódica ou a instalação fora dos padrões estabelecidos pela ABNT pode implicar em riscos graves e que podem até levar à morte. De acordo com INPE, o Brasil ocupa a sétima posição no ranking global de acidentes fatais provocados pela incidência de raios e estar dentro de casa, próximo à rede hidráulica ou elétrica, é a causa de 21% dos acidentes. Os principais riscos da ocorrência de raios em condomínios estão relacionados à presença de moradores e trabalhadores na cobertura e também nas áreas comuns. A queima de equipamentos, não cobertura das apólice contratada e danos à estrutura e à alvenaria estão também estão entre os riscos.