A grave crise mundial causada pelo Coronavírus tem gerado prejuízos financeiros a vários segmentos do mercado. E entre os mais afetados estão os condomínios. O índice de inadimplência aumentou consideravelmente neste setor. E, por isso, o que muitos síndicos e administradores vivem sem perguntando hoje é como lidar com a inadimplência na pandemia.

Se você é um deles, saiba que nem tudo está perdido. Existem algumas maneiras eficientes de contornar essa situação e colocar as finanças do condomínio de volta nos trilhos, mesmo em época de Pandemia.

Quer saber como fazer isso? Então continue lendo esse post e confira algumas dicas certeiras que separamos e que irão te mostrar como lidar com a inadimplência na pandemia.

Fale com o condômino inadimplente

Nesses momentos é preciso utilizar toda a sua empatia, comunicação assim como conhecimento sobre a Legislação Condominial. Lembre-se que ninguém gosta de ficar devendo e estamos em uma situação econômica muito difícil.

Deste modo, procure, a princípio, ter uma conversa franca. Explique como funcionam as contas do condomínio. Além disso, mostre ao morador inadimplente como a falta de pagamento de um único condômino afeta a todos.

Ofereça descontos e isenções

Se a conversa inicial não surtir efeito, ofereça isenção de multas e jurus para incentivar o morador a quitar a dívida.

Em último caso, você pode recorrer à justiça. Desde 2016 os processos de condomínios contra moradores inadimplentes têm sido resolvidos com muito mais rapidez.

Mas não se esqueça de, caso resolva fazer a apelação judicial, contratar um bom advogado para o condomínio e ter em mãos provas de que existem débitos em atraso e o condômino sabe disso.

Tome medidas para diminuir a inadimplência

Como você sabe, a manutenção do pagamento das cotas condominiais é essencial para o condomínio. Contudo, talvez nem todos os condôminos tenham essa visão.

Por conta disso, além de reforçar a importância de manter as contas do condomínio em dia, uma boa estratégia para saber como lidar com a inadimplência na pandemia é criar ou modificar a convenção condominial, que institui as regras que devem ser seguidas pelos moradores. Neste documento, entre muitas outras coisas, devem estar previstas as medidas a serem tomadas em caso de inadimplências como, por exemplo:

• O limite de atrasos antes de uma notificação oficial por parte do condomínio;
• Qual o prazo para que ocorra uma intimação judicial;
• Quais os juros e multas sobre as mensalidades em atraso.

Revise o caixa

A melhor medida para sofrer menos em momentos de crise como a que estamos vivendo é, sem dúvidas, se prevenir. Isso vale para a sua vida pessoal assim como para o condomínio que você administra.

Caso você não tenha se preparado ou aquilo que foi guardado não seja o suficiente para cobrir os gastos, tudo bem. Nesse caso, não é preciso se desesperar.

Como a inadimplência na pandemia só tende a aumentar agora é hora de pisar no freio, revisar todas as despesas assim como investimentos e cortar aquilo que for possível, a fim de preservar o caixa e minimizar os problemas.

Graças a MP 936/2020 é possível que você reduza a jornada dos funcionários em até 70% por 90 dias. Caso seja necessário, avalie criteriosamente quais funções poderiam ter a jornada reduzida. Além disso, veja quais outras modificações poderiam ser feitas para reduzir custos e garantir que as finanças do condomínio se mantenha sob controle.

E aí, gostou no texto? Sabemos que a inadimplência na pandemia é um grande problema. Por isso, esperamos que essas dicas te ajudem a contorna-lo da melhor maneira possível.

Autor: Karina Matos