Elaborar um planejamento orçamentário para seu condomínio é fundamental para que você consiga prever com antecedência os recursos necessários para arcar com as despesas.

Você deve fazer um projeto minucioso, que leve em conta os pagamentos dos funcionários, gasto com energia, água, elevadores, despesas administrativas, manutenção e outros gastos que seu condomínio possuir.

Isso contribui para que os moradores não levem susto com aumentos inesperados no valor do condomínio e até mesmo evitar que eles não consigam pagar e acabe trazendo mais problemas para você.

Por isso vamos dar algumas dicas que irão te ajudar a elaborar um planejamento orçamentário para seu condomínio, tornando-o mais simples e mais eficiente.

Dicas para você elaborar um planejamento orçamentário para seu condomínio

O planejamento é um grande desafio que o administrador do prédio deve enfrentar todo ano. É a partir dele que são definidos os reajustes no valor do condomínio e que são tomadas as decisões importantes.

Para elaborar um planejamento orçamentário para seu condomínio é preciso muita atenção e cuidado e tudo deve ser feito da maneira mais transparente possível.

Tudo deve ser calculado de forma que o condomínio não venha a ter prejuízos futuros e acabe tendo que cortar gastos ou ficando inadimplente.

1 – Faça o levantamento dos gastos e despesas do ultimo ano

A primeira coisa que precisa ser feito ao elaborar um planejamento orçamentário para seu condomínio é levantar as despesas. Faça uma lista completa com todos os gastos e pagamentos realizados nesse período.

Não se esqueça do décimo terceiro, férias e outras despesas que tem com os funcionários. Sempre que tiver um gasto com algo para o condomínio, mesmo que pequeno, guarde a nota para você lembrar de inclui-lo na hora do planejamento.

2 – Verifique as fontes de receitas

Veja quantos condôminos tem e quais são as receitas arrecadadas nesse período. Reúna todos os dados de despesas e receitas. Assim, você consegue visualizar melhor se o que foi planejado no ano anterior é suficiente.

3 – Não se esqueça das sazonalidades

Existem algumas despesas sazonais que devem ser levadas em consideração na hora de elaborar um planejamento orçamentário para seu condomínio. Esses gastos costumam acontecer algumas vezes no ano.

Para ajudar a identificar essas despesas é necessário analisar em quais meses do ano anterior teve maior saída de capital, e com isso, ver qual foi o motivo. Alguns exemplos são

    • Aumento do consumo de água no verão.
    • Aumento do consumo de energia elétrica no inverno.
    • Dedetização das áreas comuns.
    • Maior uso e manutenção de piscina no verão.
    • 13º salário.

4 – Calcular os reajustes dos salários

O salário dos funcionários sofrem reajustes todos os anos. Por isso, é importante inclui-los no orçamento. É importante deixar uma folga nessa etapa, para evitar possíveis imprevistos com alguma contratação.

5 – Faça uma redução de gastos

São muitas as despesas que um condomínio possui, por isso, é muito difícil reduzir o valor da taxa mensal paga pelos moradores. Porém, existem alternativas que fazem ter uma redução significativa.

Essas alternativas devem ser estudadas na fase de planejamento, para que você consiga reduzir ao máximo os valores pagos pelos condôminos.

6 – Contar com inadimplência

Infelizmente, a inadimplência é mais comum do que se pensa. Ela afeta vários setores e atinge também os condomínios. Por isso, você deve analisar os índices de inadimplência do ano anterior e prever um valor um pouco maior para o próximo ano.

Assim, mesmo que alguns moradores faltem com o compromisso, o condomínio terá uma renda guardada para continuar quitando as contas.

Se no final do ano o dinheiro sobrar, ele poderá ser aplicado em alguma melhoria para o condomínio, ou até mesmo devolvido.

7 – Planejar os investimentos

Quando há planejamento, a taxa condominial fica mais justa, pois não é recolhido nem mais nem menos do que o necessário. Por isso, deve ser muito bem feito.

Há condomínios que possuem interesse em realizar investimentos, como por exemplo, reformas e melhorias. Para isso, é necessário reservar uma certa quantia todo o mês.

Primeiramente é preciso fazer uma assembleia para analisar a prioridade de cada investimento, vê se todos concordam em pagar mais caro para ter uma posterior valorização do imóvel e analisar se o projeto é realmente viável.

Depois de realizar a assembleia e decidir em qual parte começar primeiro, você deve planejar qual será a despesa total disso e quando ficará para cada condômino.

8 – Faça uma média aritmética

É recomendado fazer uma média aritmética do valor de todas as despesas, dividindo pela quantidade de moradores e pelos 12 meses, para que o valor pago seja igual durante todo o ano, mesmo com gastos sazonais.

Essas foram algumas dicas que irão te ajudar a elaborar um planejamento orçamentário para seu condomínio para que você não tenha problemas futuros e consiga ter uma administração eficiente.